Para receber atualizações e novidades:

Blog

Entrevista com a personal organizer: Gisele Zanette Pascoali

26 de Março de 2018 Kalinka Carvalho

Diretamente no Sul do País recebo hoje Gisele Zanette Pascoali no Entrevista com a Personal Organizer, ela foi pioneira na profissāo em Criciúma, Santa Catarina. Ela é uma mulher linda, inteligente e organizada e hoje vamos conhecer a trajetória do trabalho dela. Fez psicologia e designer de interiores, mas foi na organizaçāo que descobriu sua paixāo. "Não imaginava que iria me sentir tão feliz por estar organizando a vida das pessoas, realmente transformando, e isso é mágico", afirma Gisele. 

 

 

Gisele Zanette Pascoali  Formada em Psicologia, fez Líder Coach, estudou design de interiores. Trabalhou na área de RH, decoração e também como projetista. Personal Orgaizer desde 2014 pela OZ. Pioneira da região de Criciúma/SC, atua com na área Home, ministra palestras e workshops.

 

 

 

1. Kalinka: O que é um Personal Organizer?

Gisele: É um profissional capaz de transformar vidas! Conhecendo a rotina de cada cliente e sua família, conseguimos deixar tudo mais prático e funcional. Percebemos as necessidades, os desejos, os sonhos, e procuramos proporcionar qualidade de vida e conforto. Podemos atuar tanto em residências, lojas, empresas, instituições, fazer uma consultoria online. O importante é deixarmos o cliente feliz no seu ambiente.

 

 

2. Kalinka: Como funciona o trabalho de uma Personal Organizer?

Gisele: Primeiramente marcamos uma visita de avaliação. Vamos até a casa do cliente, conversar, entender, saber o que está incomodando, o que não está funcionando, saber do seu dia a dia e quais suas atividades. Se ele tem alguma colaboradora, se faz refeições em casa, tem filhos, se é casada(o), enfim, quanto mais conhecermos melhor será na hora de organizar. Porque já saberemos como é sua rotina, seus hábitos e ficará mais fácil de deixar a casa com a sua “cara”. Nesse dia o cliente mostra o ambiente que quer organizar, se vai ser um, dois, três ou a casa inteira. Passamos uma estimativa de quantos dias serão necessários para o projeto e também o orçamento. O cliente aceitando a proposta, mandamos por email formalizando o combinado.  Marcado o dia da execução da organização, vejo com o cliente se ele já fez a triagem ou se quer auxílio nessa parte. Feito isso, vamos para o “colocar a mão na massa”, organizamos tudo de maneira prática e funcional para cada cliente. No final fizemos um treinamento com ele e se tiver alguma colaboradora, ela também participa. Serão ensinadas todas as técnicas para manterem a organização, mostrado aonde ficou cada coisa e as formas de se adaptarem a esse novo ambiente.

 

 

3. Kalinka: Quem são as pessoas que precisam de uma personal organizer?

Gisele: Acredito que todo mundo! Estamos numa correria a semana inteira, trabalhando, são os filhos, compromissos, cada um com suas atividades e merecemos uma casa  gostosa, confortável, que nos sentimos felizes de estar nela.  Na maioria das vezes os meus clientes não tem tempo para se dedicarem a casa, tem colaboradoras para auxiliar nessas tarefas  ou quando tem tempo, não sabem como melhorar o funcionamento da casa.  Quem é que não iria gostar de chegar em casa, sentir que  está tudo  em ordem, que você terá mais tempo pra curtir as coisas que você gosta, com a família e os amigos?! Posso até dar o exemplo de uma cliente minha que organizei  a sua casa e ela disse que amou a organização, mas o que mais valeu a pena, foi a filha dela de 8 anos de idade aprender e a valorizar a organização, mantendo seu quarto todo organizadinho.

 

 

4. Kalinka: Há quanto tempo você trabalha como personal organizer? Porque resolveu ser personal organizer? O que mais gosta de organizar?

Gisele: Me formei em Psicologia, estudei Design de Interiores, atuei nas áreas mas não estava feliz, queria um algo a mais. Na época eu trabalhava em Araranguá/SC numa loja de móveis e acabamentos, mas estava naquela rotina: ia para a loja e voltava para a casa. E comecei a pensar aonde eu poderia trabalhar, com o que, como, mas ainda estava sem rumo.  Minha mãe sempre falava quando eu era pequenininha que era pra eu arrumar o guarda-roupa das minhas amigas, mas eu não dava bola, nem imaginava que tinha uma profissão que fazia isso e que eu poderia atuar. Na época do Orkut eu adorava provar as roupas, fazer uma maquiagem, postar várias fotos e o meu quarto virava um Tsunami como dizia o meu pai. Eu arrumava, mas não conseguia manter, por isso gosto de me usar como exemplo. Eu gostava de arrumar só que não sabia como manter organizadinho a semana inteira. Naquele momento resolvi  ouvir ela e pesquisar sobre essa área.  Foi então que em 2014 me especializei e queria sentir como era na prática trabalhar com a organização. Comecei a me oferecer e pedir para amigos e parentes para fazer o “estágio”.  Como a cidade é considerada pequena, em torno de setenta mil habitantes, as pessoas se negavam a abrirem as postar das casas, e eu ficava chateada e sem conseguir entender. Até que uns parentes me deram a oportunidade de experimentar  na prática,  ali eu vi que eu me sentia realizada e que era aquilo que queria. Fiz o curso de Líder Coaching, e decidi ir para a “cidade grande” Criciúma que tem em torno de duzentos e dez mil habitantes.  Como não tinha experiência na área de organização, era apaixonada por decoração, trabalhei numa das melhores lojas de decoração aqui da cidade e aos poucos fui fazendo minha fanpage e divulgando meu trabalho. Aos finais de semana comecei a organizar algumas casas, e quando vi estava trabalhando de segunda a segunda.  Conciliando a loja com a organização aos finais de semana. Até que um dia eu desmaiei na loja, pedi férias e na volta pedi o desligamento. Desde então trabalho somente com o que eu amo muito fazer: organizar a casa das pessoas. Atuo principalmente  em residências, um dos ambientes que mais gosto de organizar é o closet. Ver as roupas fazendo aquele arco-íris, as dobras, aquela harmonia perfeita, adoro.  Me sinto realizada na profissão, é simplesmente mágico ver o sorriso no rosto dos clientes após cada projeto finalizado, o agradecimento, saber do bem que você fez para aquela família.

Fonte: Arquivo Pessoal Gisele 

 

 

5. Kalinka: O que é necessário para se tornar uma personal organizer?

Gisele: Fazer a especialização em organização. Gostar da área, saber lidar com pessoas, respeitar o outro, ter força física e mental para trabalhar. Porque temos que planejar todo o projeto, aonde vai cada coisa e isso também pede muita energia. Ter motivação e querer ser um empreendedor, estar sempre se atualizando, fazendo cursos, estudando.

 

 

6. Kalinka Onde atua o personal organizer? Há mercado para a profissão? Como é cobrado o valor?

Gisele: O Personal Organizer pode atuar em várias áreas desde organizar os armários numa casa, até organizar seu computador e seu celular. Eu sinto que a nossa profissão será muito valorizada, porque encontramos soluções para o dia a dia das pessoas, facilitando, deixando tudo mais prático e isso vale ouro não é?! O mercado está crescendo, como a profissão é nova  ainda temos que divulgar muito para sermos reconhecidas. Tem algumas maneiras de ser cobrado o serviço: por hora, que seria a diária  ou por projeto. Eu optei por diária.

 

 

7. Kalinka: Cite 3 coisas boas e 3 ruins de ser uma personal organizer?

Gisele: Boas 

  • Saber que você deixou alguém mais feliz.
  •  Não ter rotina, pois a cada dia, semana, estou num cliente.
  • Conhecer pessoas, costumes, hábitos, coisas diferentes.

Ruins

  • Não ser valorizada e reconhecida.
  • De pensarem que temos varinha mágica e que em uma tarde resolveremos todos os problemas.

 

 

8. Kalinka: Dê alguma dica de organização ou conselho para nossos leitores:

Gisele: A dica que eu sempre gosto de dar é do livro da Marie Kondo – A mágica da arrumação, que ela diz em todos os momentos que devemos estar felizes com as coisas que temos. A questão do desapego, da triagem que é para mim uma das partes mais importantes do nosso trabalho. Pode-se fazer pegando cada peça, cada item na mão e se perguntando se aquilo te deixa feliz? É uma pergunta tão simples, mas tem um grande efeito. Afinal temos que ter na nossa casa somente as coisas que nos trazem lembranças e sentimentos bons, não é? E fazendo essa triagem com a perguntinha em qualquer ambiente da sua casa, tenho certeza que conseguirão tirar coisas para doar ou para o lixo. Assim vocês terão aquela sensação gostosa de leveza.

 

 

9.Kalinka:  Indique algum produto de organização que acha essencial ter:

Gisele: Um produto que eu adoro e quase sempre uso é a colméia de TNT. Adoro ela para organizar as calcinhas, meias, cuecas, legs, lenços e camisetas. Todos os clientes que eu usei se apaixonam por ela! Simples e muito útil. Gosto do TNT por ser prático para lavar, é só colocar na máquina que ta cheirosinha e pronta para usar.

Fonte: Arquivo Pessoal Gisele 

 

 

Gisele participou ano passado da 4ª Conferência Personal Organizer Brasil, do painel sobre valorizaçāo da Profissāo, quanto e como cobrar pelo trabalho (precificaçāo). Participaram também desse painel: Cristiana Andreo da Equaliza (mediadora), Priscila Randow, Marthinha Sol e Melissa Albuquerque

Fonte: Foto Oficial da Conferência Personal Organizer Brasil 2017

 

 

E ai gostou do trabalho da Gisele? Entāo segue seus contatos:

Cel: (48) 99953-9567

Facebook

Instagram 

 

 

 

 

Assinatura