Para receber atualizações e novidades:

Blog

Entrevista com a personal organizer Helena Alkhas

13 de Julho de 2015 Kalinka Carvalho

Olá pessoal, tudo bem com vocês? Hoje teremos mais uma entrevista com a personal organizer. A convidada de hoje é a inspiradora Helena Alkhas, o que posso dizer dela? Simplesmente ela é uma referência para muitas personal organizers no Brasil e fora dele. Atualmente ela mora em San Diego, Estados Unidos. Posso dizer que a primeira vez que digitei personal organizer no google foi ela que apareceu e achei inscrível, pois descobri que ela era uma brasileira que morava nos Estados Unidos. Ela está sempre disposta a ajudar e tem muita experiência e simpatia. Vamos conferir? 

 

Helena é Organizadora Profissional, Consultora e Instrutora NAPO para novas Organizadoras Profissionais. Ela é casada com um oficial da marinha americana e vive com seu marido e 3 filhos aonde a marinha os levar. Membro atuante em sua comunidade e em suas associações profissionais desde 2010, Helena organiza as agendas e casas de mães super ocupadas em San Diego na Califórnia através de sua empresa A Personal Organizer.

Helena é especializada em Desorganização Crônica, presta consultoria online para organizadoras profissionais que querem expandir o seu negócio e para empresas na indústria de organização.

 

1. Kalinka: O que é uma personal organizer?

Helena: A NAPO define a atividade do organizador profissional como: “O organizador profissional melhora as vidas de seus clientes por meio do desenho de sistemas e processos, nos quais se aplicam os princípios de organização, e transfere ao cliente as habilidades relacionadas à organização. O organizador profissional também ensina ao público em geral as soluções existentes no campo da organização, e os benefícios resultantes desta. A transferência de habilidades é um conceito que resulta, em última instância, ensinar ao cliente a criar e manter seus próprios sistemas de organização.”

Segundo essa definição da NAPO, a essência da organização profissional está relacionada com a transferência de habilidades de organização, ou seja, o organizador profissional tem por objetivo ensinar técnicas e habilidades de organização ao seu cliente para que este possa manter um estilo de vida organizado independente da presença ou dos serviços do organizador.

Ainda podemos observar que a grande diferença entre o organizador profissional brasileiro e o americano reside no fato de nos EUA trabalharmos com o cliente, transferindo para ele, ou seja, ensinando, as habilidades de organização, enquanto no Brasil, o organizador ainda trabalha para o cliente.

 

2. Kalinka: Como funciona o trabalho de uma personal organizer?

Helena: Normalmente o cliente nos procura buscando informações sobre nossos serviços, custos etc. Cada organizador tem seu sistema de atendimento, mas eu, pessoalmente, inicio todos os meus projetos fazendo uma visita paga de levantamento, onde não apenas investigo as possiveis causas da desorganização, mas também faço uma observação de estilos de aprendizado, possíveis condições médicas que estejam impactando o meu cliente e sua habilidade de manter-se organizado, além, é claro, do levantamento dos espaços físicos e condições ambientais.

Uma fez feito este levantamento, dou uma estimativa de tempo para o cliente, meu preço por hora de trabalho e caso ele esteja de acordo, assinamos um contrato. Em seguida marcamos nossas sessões de trabalho, que são em geral de 4 horas por dia, com o cliente. Avançamos pelas etapas de sorteio, descarte, organização e revisão. Acho que posso dizer que a maioria dos projetos leva entre 12 e 20 horas.

Em geral, nos EUA, trabalhamos lado a lado com o cliente, que é parte ativa do processo, podendo assim praticar o desapego na etapa inicial de descarte, bem como aprender as técnicas de organização sendo implementadas.

 

3. Kalinka: Quem são as pessoas que precisam de uma personal organizer?

Helena: Há pessoas naturalmente organizadas e há aquelas que sofrem com a desorganizaçâo por toda a sua vida. Para a pessoa naturalmente organizada, o organizador profissional pode ser de grande valia, tanto para refinar sistemas já presentes, como para situações que, em organização profissional, chamamos de “transição de vida”, ou seja, quando algo muda em nossas circunstâncias e nos deparamos com mais do que podemos lidar. Exemplos disso são promoções profissionais, transferências, falecimentos, divórcios, a união de duas pessoas que agora tem que juntar tudo o que já tinham ou uma doença que torna muito difícil manter-se organizado.

Já para as pessoas que não são naturalmente organizadas, que sofrem com a desorganização de forma crônica, o organizador profissional qualificado para trabalhar com este cliente pode oferecer não apenas sistemas organizacionais adequados à forma destes clientes processarem informação, como também um atendimento continuado e de manutenção, já que para este cliente, manter-se organizado não é fácil e ele pode facilmente se reencontrar em um ambiente desorganizado.

 

4. Kalinka: Há quanto tempo você trabalha como personal organizer? Por que resolveu ser personal organizer? O que mais gosta de organizar?

Helena: A minha trajetória com a organização começou na verdade, com o meu casamento com o meu marido, que é um oncologista da marinha americana e por isso eu me mudei 7 vezes em 11 anos. Ter me mudado internacionalmente tantas vezes, tido filhos gêmeos e um terceiro menino, sem a ajuda da família e sem funcionários domésticos, me ensinou não apenas a ser muito organizada, mas a administrar a casa e a família, tanto para manter a harmonia familiar como a minha sanidade. :) Porém, eu só descobri que esta habilidade poderia ser uma atividade profissional em 2010, quando eu comecei a trabalhar como organizadora profissional.

Tudo começou quando eu fui ajudar a mãe de um amiguinho dos meus meninos, que estava com o casamento em risco por conta do acúmulo dela. Nós passamos semanas deixando as crianças na escola e indo para a casa dela para organizar tudo. Nós também eliminamos duas unidades de armazenagem, o que era um motivo de brigas para o casal, por conta da despesa. No mesmo dia que eu comecei a ajudá-la, eu cheguei em casa e fui pesquisar sobre o assunto e para a minha surpresa não apenas havia uma associação nacional (a NAPO), como centros de estudos, empresas, organizadoras! Meu mundo mudou completamente e eu que havia sido mãe e dona de casa em período integral por 9 anos, passei a me dedicar a montar a minha empresa e a aprender tudo o que eu podia sobre desorganização e organização.

Desde então, eu construí um negócio muito bem-sucedido, me especializei em desorganizaçāo crônica, me tornei instrutora NAPO, passei a prestar consultoria para organizadoras profissionais e empresas na indústria de organização e tenho o prazer de pertencer a uma comunidade profissional madura e em constante desenvolvimento.

Eu me apaixonei por este trabalho, por diversas razões, mas as principais razões que me motivam até hoje, são que o nosso trabalho me permite conhecer melhor a natureza humana e a servir aos outros de forma positiva e transformadora. Eu me sinto recompensada pelo meu serviço aos meus clientes e me orgulho de ser organizadora profissional.

O que eu mais gosto de organizar? A rotina familiar, cozinhas e garagens! Adoro uma garagem! Gosto de encarar uma garagem cheia até o teto para depois ver a felicidade e o orgulho dos meus clientes quando passam a estacionar seus carros dentro dela novamente! A gente sempre celebra com um high-five e um abraço!

Foto do Arquivo Pessoal da Helena

 

5. Kalinka: O que é necessário para se tornar uma personal organizer?

Helena: Como esta atividade não é uma profissão reconhecida, tanto nos EUA como no Brasil, na verdade, qualquer pessoa que passe a cobrar por seus serviços de organização pode se intitular de “organizador profissional”, “consultor em organização” ou “personal organizer”. No entanto, é altamente recomendado fazer treinamentos básicos em habilidades de organização e administração de uma empresa, além, é claro, de ter um forte espírito empreendedor, porque como eu sempre digo, há muito mais por trás de um negócio de organização profissional bem-sucedido, do que amor por organização.

Dito tudo isso, acho essencial o candidato a organizador profissional gostar de estudar, do convívio com pessoas, saber escutar e ter compaixão pelos sentimentos alheios. Muitas vezes lidamos com clientes enfrentando dificuldades, vergonha de sua situação ou perdas de caráter pessoal, de forma que saber criar e proteger este espaço para as transformações na vida do cliente é fundamental.

 

6. Kalinka: Onde atua o personal organizer? Há mercado para a profissão? Como é cobrado valor? 

Helena: O organizador profissional atua em todas as áreas da vida humana. Como dizemos aqui, do berço ao túmulo, o organizador profissional não é apenas útil, mas muitas vezes é figura essencial para a qualidade de vida de seus clientes.

Além da organização de residências, o organizador profissional pode auxiliar seus clientes nas seguintes áreas:

  • organização de documentos

  • organização e preservação do patrimônio de imagens

  • organização de adultos com síndrome de déficit de atenção (com hiperatividade ou não)

  • assistência continuada e organização de acumuladores

  • assistência continuada e organização de desorganizados crônicos

  • organização de alunos, professores

  • treinamento de funcionários altamente qualificados, mas que não sejam naturalmente organizados

  • treinamento e organização em empresas - desde os papéis até o fluxo de informação

  • auxílio e administração de mudança de idosos - quando nossos pais precisam se mudar para viver com familiares, por exemplo.

  • auxílio e administração de tudo o que foi deixado por um ente querido

Ou seja, há espaço para a colaboração de um organizador profissional treinado e preparado em muitos aspectos da vida humana.

Com tantas oportunidades e com as demandas da vida moderna sendo cada vez mais intensas, estou segura de que este mercado é imenso e de que ter um negócio de organização de sucesso, se construído da forma correta, é absolutamente viável.

Como é cobrado o valor? Como aqui nos EUA trabalhamos por sessões ou pacotes, o valor dos serviços é pago ao organizador antecipadamente (pacotes) ou ao final de cada sessão, dependendo do acordado com o cliente.

No Brasil, como as organizadoras trabalham sozinhas, sem o cliente, há a necessidade da apresentação de uma proposta, com o preço e estimativa de tempo. Isso não é feito aqui, exatamente porque o tempo de um projeto irá depender fortemente na habilidade do cliente em tomar decisões sobre o que é descartado ou não.

Quanto a determinação de honorários, de acordo com o código de ética da NAPO e da ANPOP (Associação Nacional de Profissionais de Organização e Produtividade) cada organizador irá determinar o seu preço de forma independente e de acordo com sua experiência. "Irei determinar o valor a ser cobrado independentemente e irei cobrar valor que considero razoável, legítimo e comensurável à minha experiência, aos serviços que eu ofereço e a responsabilidade que eu aceito tomar."

Nos Estados Unidos cobramos por hora trabalhada e os valores podem variar de $25 a $150 a hora, dependendo da região, cidade e claro, experiência do profissional. Já no Brasil, em sua grande maioria, o organizador oferece um preço por projeto.

 

7. Kalinka: Cite 3 coisas boas e 3 ruins de ser uma personal organizer?

Helena:
Positivo
1. O que eu encontrei de mais positivo no meu trabalho como personal organizer é que eu posso aprender cada vez mais sobre a natureza humana, sobre nossas dores, alegrias e que eu posso compartilhar destes momentos tão especiais junto aos meus clientes. É muito comum eu ser contratada para "organizar um closet", mas no processo de organização, ao longos das sessões (de 4 horas) junto com a cliente, as emoções vão surgindo e eu pessoalmente acredito que somente quando acessamos e lidamos com as nossas emoções podemos experimentar verdadeiras transformações. Assim, me sinto um instrumento de mudanças na vida dos meus clientes.
2. Para poder ser este instrumento de transformação e poder oferecer um trabalho de excelência eu tive que me qualificar através de cursos (ICD, NAPO, Coach Approach for Organizers), muita leitura e trabalho prático junto aos clientes. Sem dúvida alguma a maior beneficiada desta qualificação fui eu, pois tudo isso expandiu meu espírito, me ofereceu maior compreensão de quem eu sou como ser humano e do que eu quero oferecer para o mundo e deixar como legado.
3. Claro que em organização profissional há o grande "barato" dos produtos organizadores e como tornar um ambiente mais bonito e organizado com estes. Amo descobrir e experimentar coisas novas, testar novos produtos e ver o que funciona ou não. Sou apaixonada por design de interiores e isso faz parte integral do meu trabalho e dia a dia. Se um dia eu deixar a organização profissional e voltar a trabalhar em uma empresa, você certamente me encontrará na Pottery Barn ou uma loja similar! :-D
Negativo
Procuro encarar tudo na vida como algo positivo e como uma forma de aprendizado, mas se eu tivesse que ressaltar 3 pontos negativos, eles seriam:
1. a solidão do empreendedor - eu sou uma pessoa gregária e sociável por natureza. Eu amo conectar as pessoas, ver quem pode ajudar a quem, te colocar em contato com quem vá te trazer algo positivo etc., de forma que trabalhar tantas horas sozinha no meu home-office é difícil para mim. A mídia social tem sido uma forma de compensar isso e de fato, fiz inúmeras amizades e conexões com pessoas incríveis ao redor do mundo ao longo dos anos, mas nada substitui a presença humana e eu adoraria ter mais convívio com colegas.
2. vestir todos os chapéus do empreendedorismo - ter um negócio próprio requer uma imensa curva de aprendizado e muitas vezes me canso de fazer tantas atividades diferentes. Há muitas coisas que eu passo para a minha assistente, mas ainda assim há muito que eu mesma continuo fazendo. Se eu tivesse um conselho para dar a este respeito é que você delegue cedo (o que eu não fiz!) o máximo possível para poder se dedicar ao máximo a atrair clientes e se dedicar ao que traz dinheiro para o seu negócio. Não se ocupe com coisas que outros podem fazer por você.
3. a expectativa externa - eu aprendi que existe uma expectativa, de clientes a amigos, de que a minha casa seja impecável, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Nossos amigos mais íntimos sempre brincam que tiveram que dar uma geral na casa, pois a "personal" estava vindo visitar - e eles realmente deram a tal geral! :) Já tive clientes que pediram para inspecionar o meu carro -do porta-luvas à mala do carro- para ver "se eu sou organizada mesmo", assim como já tive pessoas estranhas olhando pelo vidro, pois uso um adesivo magnético nas laterais do carro e ficaram curiosos. Ou seja, de certa forma me sinto constrangida a estar "sempre organizada" e isso é cansativo, afinal como dizemos na língua inglesa, life happens (a vida acontece) e as meias do meu caçula acabam debaixo do sofá, eu tenho mais cereal matinal no chão do que na caixa e sim, a roupa as vezes fica na secadora por 24 horas até eu ter energia para encarar a lavanderia. Felizmente, aprendi a lidar bem melhor com isso nos últimos anos e agora levo tudo na brincadeira.

 

8. Kalinka: Dê alguma dica de organização ou conselho para nossos leitores:

Helena:

  • Saiba que mesmo que você não seja organizada, você pode aprender a ser. Habilidades de organização podem ser ensinadas e um organizador profissional treinado saberá compartilhar técnicas e sistemas para colocar seu tempo e seus espaços em ordem.

  • Observe o que já funciona na sua casa, no seu carro, na sua bolsa ou no seu trabalho. Todos nós temos algo que já é um sucesso em organização. Observe isso e veja como você pode re-criar este “sisteminha” nas áreas da sua vida que você acha que poderiam melhorar.

  • Não busque referências externas de organização, muito menos baseie o seu critério de organização em aspectos estéticos. A organização deve ser funcional e facilitar a sua vida. Se ordenar a sua lingerie por cor só te dá mais trabalho, pule esta parte e siga em frente.

 

9. Kalinka: Indique algum produto de organização que acha essencial ter:

Helena: Estou sempre buscando e testando produtos para os projetos de clientes e com isso a minha casa é um eterno “laboratório”! Testo tudo aqui e só indico o que passou no teste.

Adoro os produtos que simplificam a vida ou eliminam as coisas chatas, como por exemplo, me ajoelhar debaixo da mesa para catar um fio, procurar por lâmpadas ou pilhas ou ficar procurando pela minha carteira com a fila do Starbucks toda olhando para mim. Assim, estou sempre de olho em produtos de qualidade e que simplificam a vida. Meus mais usados são o CableDroporganizadores de pilhasorganizador de bolsas leve e prático.

Foto da Helena

 

Espero que tenham gostado da entrevista e para acompanhar o trabalho da Helena, você pode:

- Ler as dicas de organização no blog dela: apersonalorganizerbrasil.com

- Assistir suas aulas no site curso.apersonalorganizer.com

- Curtir sua página no Facebook

 
 
Assinatura