Para receber atualizações e novidades:

Blog

Entrevista com a Personal Organizer: Naila Broisler

02 de Março de 2016 Kalinka Carvalho

Você acredita em destino? As vezes as coisas acontecem e nem sabemos o porquê né? Hoje recebo uma convidada muito especial, por incrível que parece nos duas gostamos de organizaçāo, mas nos conhecemos em um curso de empreendedorismo criativo, o Decola Lab da Rafaela Cappai, tem entrevista dela também aqui no blog. Recentemente pudemos nos conhecer pessoalmente, a energia é claro foi incrível, gostamos muito uma do trabalho da outra e acredito que essa entrevista é apenas o começo de uma grande parceria. 

 

 

Naila Broisler é proprietária da empresa Visite Nossa Casa, ofereçe serviços de organização, decoração e projetos de marcenaria personalizados. É formada em Design de Interiores pela ABRA e especialista em Organização Residencial pela OZ! Organize sua Vida e Yru Organizer. Graduada em Publicidade e Propaganda pela FAAP.  Ministra palestras e cursos para profissionais da área e público em geral. 

 

 

 

 

1) Kalinka: O que é uma personal organizer? 

Naila: Antes de mais nada, gostaria de dizer que é uma profissão linda e que precisa ser valorizada. Sim, porque um(a) Personal Organizer organiza tudo o que uma pessoa não tem tempo, não sabe, ou não consegue fazer sozinha. Seja no ambiente residencial, comercial ou até mesmo no digital. Mas não só isso. A organização vai além de organizar gavetas e armários. Os ambientes como um todo também devem fazer parte do processo de trabalho da organização. E que fique claro: o objetivo final, independente da área ou método de atuação, é facilitar a sua vida e torná-la mais funcional e prazerosa no seu dia-a-dia.

 

 

2) Kalinka: Como funciona o trabalho de uma personal organizer?

Naila: O trabalho de um(a) Personal Organizer passa por diversas etapas, iniciando por uma visita técnica de diagnóstico e análise dos problemas e necessidades que o cliente quer resolver. Após esse diagnóstico, é enviada uma proposta de trabalho e que, após a aprovação, o profissional inicia o trabalho, após agendamento. Essas etapas de execução envolvem desde assessorar o descarte do cliente, passando pelo replanejamento dos espaços e categorização, até finalizar com identificação dos lugares. Ou seja, o endereço de cada item. E após essa conclusão, tudo o que e como foi feito é passado para uma pessoa responsável, para que ela possa manter tudo em ordem, caso não tenha participado do processo com o profissional.

 

 

3) Kalinka: Quem são as pessoas que precisam de uma personal organizer? 

Naila: Eu acredito que todas as pessoas (ou quase todas) podem precisar de um(a) Personal Organizer. Calma, vou explicar! Pelo o que conheço das pessoas, mesmo as mais organizadas em relação aos espaços da casa, podem eventualmente não serem tão organizadas num ambiente digital, por exemplo. É legal frisar isso, pois muitas vezes, podemos nos enganar, achando que o fato de já ter um perfil organizado, não precisamos de uma assessoria profissional, para uma determinada área. Além disso, existem, obviamente, perfis mais bagunceiros, acumuladores, ou até mesmo pessoas com algum tipo de deficiência, que com certeza, um(a) PO iria contribuir muito pra melhorar sua vida.

 

 

4) Kalinka: A quanto tempo você trabalha como personal organizer? Porque resolveu ser personal organizer? O que mais gosta de organizar?

Naila: Eu trabalho como PO há 3 anos, quando decidi largar minha profissão em Comunicação e MKT, para empreender e abrir minha empresa chamada Visite Nossa Casa, em que também atuo com decoração residencial e projetos de marcenaria personalizada.

Mas tudo começou lá atrás! Sim, porque já vivi em 10 lugares diferentes, onde eu tive que aprender a me reconhecer dentro de uma casa onde, muitas vezes, não sentia que era meu lar. Algumas vezes por opção, outras por obrigação, esse processo de adaptação foi muito valioso para que eu pudesse descobrir como viver em um lugar que tivesse a minha cara, o meu jeito. Aprendi a me organizar, a criar hábitos que ajudaram no meu dia-a-dia. Tudo isso alinhado ao fato de que sempre gostei de imaginar espaços também. Muitas vezes, sem querer, eu me pegava entrando na casa de alguma pessoa e pensando: eu faria isso aqui, aquilo ali.. e por aí vai...Enfim, em algum momento da nossa história, certas coisas esquecidas ganham vida e aqui estou!

Sobre o que mais gosto de organizar? Eu diria que tudo o que me desafia a repensar os espaços, sejam eles dentro de armários, ou fora. Se um cliente me quiser apenas para dobrar roupas, eu não sou a pessoa certa para ele. Acho que o barato do meu trabalho é repensar e otimizar espaços! As dobras são apenas consequência.

 

 

5) Kalinka: O que é necessário para se tornar uma personal organizer? 

Naila: Depende. Formalmente, você não precisa de nenhum diploma para se intitular Personal Organizer, como um Engenheiro precisa, por exemplo. Mas isso não quer dizer que você não precisa estudar e se especializar na área. Muito pelo contrário. Aliás, na minha opinião, é obrigação de qualquer pessoa, que quer ser um profissional bem-sucedido, estudar, ler muito e conhecer sobre artes, lugares etc... Tudo isso é bagagem pra se diferenciar no mercado. Hoje existem vários cursos muito bons na área de organização, e que é necessário fazer pra quem quer se lançar na área. Mas não se engane. Se você almeja ter seu próprio negócio, você vai ter que saber sobre empreendedorismo, fluxo de caixa, mkt, etc..! Como diz a minha mentora e coach Rafa Cappai, “empreender não é bolinho, mas pode ser uma delícia”. Eu sou a prova disso!

 

 

6) Kalinka: Onde atua o personal organizer? Há mercado para a profissão? Como é cobrado o valor? 

Naila: Como comentei anteriormente, o PO pode atuar na área residencial e comercial, com organização, mudanças, treinamentos; na área digital, com organização de arquivos, projetos etc... Mas existem infinitas possibilidades. Tem profissionais atuando com expatriados, pós-luto, desorganizadores crônicos. O mercado está crescendo, a demanda existe. Isso é fato, principalmente em áreas urbanas, onde as pessoas vivem sem tempo. Mas o grande desafio é encontrar o seu público e identificar qual é a “dor” dele, para que você possa ser a solução para ela. Atualmente eu atuo em São Paulo (capital) e também de forma online, com dicas de decor e organização. Na maior parte dos meus serviços, eu cobro por projeto, pois o cliente se sente mais seguro. No entanto, existem outras formas de se cobrar, como por hora ou por diária.

 

 

7) Kalinka: Cite 3 coisas boas e 3 ruins de ser uma personal organizer?

Naila: Boas? São várias, mas vamos lá: 1- Ter a oportunidade de ajudar as pessoas a terem mais qualidade de vida e TEMPO. 2- Poder contribuir com uma mudança de comportamento de uma pessoa desorganizadas. 3- A satisfação e o tesão de ver um espaço organizado! (Quem tem um pouco de toc com isso, entenderá o que estou dizendo kkkk)

Ruins: 1- A falta de entendimento que as pessoas ainda tem sobre essa profissão, que vai de 8 a 80. Tem gente que acha que é puro luxo contratar um (a) PO e tem gente que acha que está contratando uma diarista (sem desmerecer essa profissional, por favor. É só porque são profissões distintas). 2- Pelo o que disse acima, as pessoas acabam questionando o valor que é cobrado, muitas vezes. E nesse ponto, é preciso aprender a não ceder pra não se desvalorizar.  3- A organização de espaços físicos gera um cansaço e consumo de energia grande. É preciso saber ponderar a quantidade de horas que irá trabalhar, para ter gás de fazer outras tarefas do seu negócio e da sua vida pessoal.

   

Fotos do Trabalho da Naila

 

 

8) Kalinka: Dê alguma dica de organização ou conselho para nossos leitores: 

Naila: Se for organizar algum local, comece pelo descarte. Separe o que não tem mais uso pra você e o que quer reaproveitar. Ter noção do volume de itens que você precisa organizar, torna bem mais fácil todo esse processo. E de quebra, você renova as energias do ambiente.

 

 

9) Kalinka: Indique algum produto de organização que acha essencial ter: 

Naila: Uma agenda. Seja ela de papel ou eletrônica. Tirar das nossas cabeças o que temos que fazer e colocar prazos em nossas tarefas, faz com que tudo seja feito de forma mais planejada e organizada. Outra coisa que aprendi com a minha mentora Rafa Cappai é: “Se não está agendado, não é real”. E isso vale pra tudo, certo?

 

A Naila agora é Instrutora da OZ! e nesse mês promoverá o workshop “Técnicas de Decoração para Personal Organizers”, para saber informações clique aqui.  Para acompanhar o trabalho na Naila e contratá-la, segue os contatos:

Site: www.visitenossacasa.com.br

Email: naila@visitenossacasa.com.br

Telefone | Whatssap: (11) 981.681.870

Facebook

Instagram

Assinatura